sexta-feira, 19 de agosto de 2011

ATENTADO CULTURAL - LIVROS PRECISAM CIRCULAR

"Livro precisa circular. Livro sem leitor é rio seco, jardim sem flor, céu nublado" Gift e frase tirados deste blog
ATENTADO CULTURAL - Movimento que está circulando no facebook e compartilho com vocês, queridos amigos:
"No sábado, dia 20, façamos a diferença. Deixe um livro (você sempre tem um que não lerá mais) num ponto de ônibus, praça de alimentação, banco de jardim, balcão de padaria, açougue, farmácia... Se você apoia esta ideia, compartilhe e divulgue em outras mídias. UM DIA = UM LIVRO. 20 DE AGOSTO. UM SÁBADO "A GOSTO". Com dedicatória no livro ainda fica mais legal."
Minha amiga querida Jussara, do blog Juju, sugere esta dedicatória: "Não estou perdido, sou um livro livre. " Eu acrescentarei nos meus: "Leia e repasse".

Lendo alguns artigos sobre a importância da leitura, encontrei este,muito bom, que copio com a devida autorização do blogueiro Anibal Bragança.

"Literatura, filosofia e amizade – Drummond e Sloterdijk O que há de mais importante na literatura, sabe? é a aproximação, a comunhão que ela estabelece entre seres humanos, mesmo à distância, mesmo entre mortos e vivos. O tempo não conta para isso. Somos contemporâneos de Shakespeare e de Virgílio. Somos amigos pessoais deles. Se alguém perto de mim falar mal de Verlaine, eu o defendo imediatamente; todas as misérias de sua vida são resgatadas pela música de seus versos. Como defenderia um amigo pessoal. (...) o maior prêmio de Estocolmo ou dos Estados Unidos não vale o telegrama de amor que alguém desconhecido, e que não conheceremos nunca, nos manda lá do Pará porque leu uma coisa nossa e ficou comovido e rendido. Carlos Drummond de Andrade, Tempo, vida, poesia. Confissões no rádio. Rio de Janeiro: Record, 1986, p. 58 * Livros, observou certa vez o escritor Jean Paul [1763-1825], são cartas dirigidas a amigos, apenas mais longas. Com esta frase ele explicitou precisamente, de forma graciosa e quintessencial, a natureza e a função do humanismo: a comunicação propiciadora de amizade realizada à distância por meio da escrita. O que desde os dias de Cícero se chama humanitas faz parte, no sentido mais amplo e no mais estrito, das conseqüências da alfabetização. Desde que existe como gênero literário, a filosofia recruta seus seguidores escrevendo de modo contagiante sobre amor e amizade. Ela é não apenas um discurso sobre o amor à sabedoria, mas também quer impelir outros a esse amor. Que a filosofia escrita tenha logrado manter-se contagiosa desde seus inícios, há mais de 2.500 anos, até hoje, deve-se ao êxito de sua capacidade de fazer amigos por meio do texto. (...) Faz parte das regras do jogo da cultura escrita que os remetentes não possam antever seus reais destinatários; não obstante, os autores lançam-se à aventura de pôr suas cartas a caminho de amigos não-identificados.
Peter Sloterdijk, Regras para o parque humano: uma resposta à carta de Heidegger sobre o humanismo. Trad. de José Oscar de Almeida Marques. S. Paulo: Estação Liberdade, 2000, p. 7-8.

 Depois de citar dois grandes autores, Anibal Bragança continua: "Não resisti a registrar a coincidência de posições sobre o maior valor da literatura e da filosofia, entre nosso poeta maior, definida em entrevista concedida a Lya Cavalcanti, em programa na Rádio MEC, só muito tempo depois transcrita e publicada, no livro Tempo Vida Poesia, que merece ser revisitado, e a do polêmico filósofo alemão, nascido em 1947, e autor, também, de O desprezo das massas. Ensaio sobre lutas culturais na sociedade moderna. Para mim, sem qualquer dúvida, os livros foram ponte para a construção de amizades, distantes e, especialmente, próximas. Tudo começou quando, em 1966, iniciei minha atividade de livreiro em Niterói (Encontro, Diálogo, LUFE, Centro do Livro/Livros para Todos, Pasárgada), que se estendeu até 1986. Foram 20 anos fazendo muitos amigos e amigas através de livros e leituras. E vivi ainda, tempos depois, a breve experiência, da criação do Sebo Fino. Na Universidade, em relação mais delicada e complexa com alunas e alunos, tivemos sempre livros como mediadores, às vezes felizes outras nem tanto. Já então se iniciava um tempo em que, mesmo no ensino superior ler livros ou mesmo capítulos, se faz, em geral, com alguma resistência, maior ou menor. As exceções, de jovens aficicionados pela leitura, confirmam a regra e trazem muitas recompensas. Quando foi publicado o Livraria Ideal, do cordel à bibliofilia, em 1999, ah!, quantas alegrias, dessas a que se refere o Drummond. Com alguns leitores, ficamos amigos 'para sempre' a partir da história de Silvestre Mônaco e sua livraria em Niterói. E você, rara leitora e leitor, tem alguma história de amor ou de amizade construída a partir de livros e leituras, como nos indicam Drummond e Sloterdijk? Acrescente seu comentário"

Portanto, amigos, participem, colaborem ,divulguem. O que mais precisamos no momento, neste país, é contribuir para aumentar a cultura das pessoas. Bjs da Arteira

sábado, 13 de agosto de 2011

Casa com vida segundo Drummond


Casa arrumada  é assim:

Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa entrada de luz.
Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não um centro cirúrgico, um cenário de novela.
Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os móveis, afofando as almofadas...
Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo:
Aqui tem vida...
Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras e os enfeites brincam de trocar de lugar.
Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha.
Sofá sem mancha?
Tapete sem fio puxado?
Mesa sem marca de copo?
Tá na cara que é casa sem festa.
E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.
Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde.
Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante,passaporte e vela de aniversário, tudo junto...
Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda.
A que está sempre pronta pros amigos, filhos...
Netos, pros vizinhos...
E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brinca ou namora a qualquer hora do dia.
Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar com a cara da gente.
Arrume a sua casa todos os dias...
Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo pra viver nela...
E reconhecer nela o seu lugar.

Recebi por email este texto  creditado a Carlos Drummond de Andrade. Não sei se é mesmo dele, mas tinha de compartilhar. Adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Brincando com espelhos

Estou fazendo algumas mudanças aqui em casa e este cantinho fica na saída do banheiro social . REsolvi mudar a cor (antes era quase laranja) e os detalhes. Usei uma tinta num tom  de lilás clarinho , reciclei molduras antigas , pintei de branco e coloquei espelhos, troquei a iluminação. No lugar da mesinha com mosaicos de espelho, entrará um aparador de ferro que ocupa o espaço todo, num modelo bem delicadinho, que uma amiga fará pra mim. Como pretendo colocar um vaso com flores e algumas velas no aparador, deixei as molduras numa altura que me permita fazer isso sem problemas e , ao mesmo tempo, usar o espelho para checar o visual...rs...ou não...  Adorei a mudança e tenho de registrar que copiei a idéia dos espelhos da casa do filhote e norinha. Filhos nos ensinam de toda forma, né?

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Bolsa romântica - Jeans reciclado (recycled jeans) - 5/40 - reeditada em 30/07/10


Modelo "quadradinhos", cheia de romantismo, com aplicações em bordado inglês e organdi, botão forrado com voil e bordado com miçanguinhas peroladas. Reeditei a postagem  em 04/08/11 porque encontrei o passo a passo online e quero dividir com as  amigas queridas . Cliquem aqui.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Torta de morango com chocolate feita pela norinha



Num fim de semana nada engordiet, Mari fez esta sobremesa deliciosa!!! Vale lembrar que a inspiração para  o recheio foi o Gustavo quem nos enviou . Aí a quituteira transformou nesta torta dos deuses!!!
Torta de Morango com Chocolate

Massa:
- 1 pacote de bolacha leite e mel
- 3 colheres de manteiga em temperatura ambiente

Triture o biscoito no liquidificador até que vire uma farinha. Misture a manteiga à farinha de biscoitos com as mãos até que vire uma massa homogênea. Forre o fundo e a lateral de uma forma de fundo removível com essa massa e leve em forno 180º por aproximadamente 12 minutos (até ficar moreninha).
Reserve.

Recheio de brigadeiro branco:- 2 xícaras de morangos cortados ao meio
- 1 lata de leite condensado
- 1 caixinha de creme de leite
- 2 colheres de manteiga

Leve ao fogo o leite condensado com a manteiga, mexa sempre até engrossar. Desligue o fogo. Acrescente o creme de leite e mexa até ficar homogêneo.
Coloque esse creme sobre a massa. Acrescente os morangos picados por cima do creme.

Cobertura:
- 300gr de chocolate meio amargo
- 1 caixinha de creme de leite
Derreta o chocolate, junte o creme de leite e mexa bem.
Cubra os morangos com esse chocolate.

Leve à geladeira por pelo menos 3 horas antes de servir. E me convide para saboreá-la!!!